Psicologia Transpessoal – Um olhar além da matéria

Psicologia Transpessoal – Um olhar além da matéria

PSICOLOGIA TRANSPESSOAL – UM OLHAR ALÉM DA MATÉRIA
“As enciclopédias definem o homem como um “animal racional, moral e social, mamífero, bípede, capaz de linguagem articulada, que ocupa o primeiro lugar na escala zoológica; SER HUMANO…”
A sua vida é resultado de bilhões de anos de transformações celulares, sob o comando do espirito que elaborou equipamentos orgânicos e psíquicos para as respostas evolutivas que a futura perfeição lhe exige.
O momento mais eloquente do seu processo evolutivo deu-se quando adquiriu a consciência para discernir o bem do mal, a verdade da impostura, o certo do errado, prosseguindo na marcha ascensional que o conduzirá às culminâncias da angelitude.
Sócrates e Platão estabeleceram que o homem era o resultado do ser ou Espirito imortal e do não ser ou sua matéria, que unidos, lhe facultavam o processo de evolução.
Os filósofos atomistas reduziram-no ao capricho das partículas que, em se desarticulando, aniquilavam-se através do fenômeno biológico da morte.
Jesus, superando todos os limites do conhecimento, fez-se o biótipo do HOMEM INTEGRAL, por haver desenvolvido todas as aptidões herdadas de Deus, na condição de ser mais perfeito de que se tem noticia.
A Filosofia, mediante as suas diversas escolas, tem procurado oferecer ao homem caminhos que o felicitem em contínuas tentativas de interpretar a vida e entendê-lo.
A psicologia, que inicialmente se confundia com a estrutura filosófica, de passo em passo libertou-se de seu jugo e, buscando estudar a psique, alcançou, na atualidade, expressão de relevo para compreensão do homem, dos seus problemas e seus desafios psicológicos.
Algo recentemente, em 1966 surgiu, nos Estados Unidos, a QUARTA-FORÇA em psicologia, que é a Transpessoal, fornecendo mais amplos esclarecimentos sobre o Homem Integral.
Na Psicologia Transpessoal o homem é concebido como um todo, interconectado com toda a existência e toda manifestação de vida, não encapsulado e limitado por um ego, é o principio holográfico, onde não só o Todo contém as partes, mas as partes contem o Todo, compreende ainda que nossa consciência manifesta propriedades não limitadas pelo espaço e/ou tempo.
A Física Quântica e suas novas e surpreendentes descobertas acerca da realidade vêm embasando a Psicologia Transpessoal, mostrando que ciência e espiritualidade não são incompatíveis. Quando falamos em espiritualidade neste contexto, não estamos nos referindo necessariamente a religiosidade, mas à dimensão transcendente inerente ao psiquismo humano, que é fonte importante de plenitude, discernimento e consciência ética em relação à vida e aos demais. A cisão entre espiritualidade e ciência que vigorou a partir do modelo cartesiano é vista como uma das principais causas do mau uso do saber científico e do grande vazio existencial presente no mundo moderno.
O QUE É PSICOLOGIA
A psicologia é a ciência dos fenômenos psíquicos e do comportamento. Entende-se por comportamento uma estrutura vivencial que se manifesta na conduta.
Modernamente a psicologia é dividida em quatro grandes correntes denominadas forças:
1ª. Força – Behaviorismo ou Psicologia comportamental – criada por John Broadus Watson. Reformulou os conceitos de consciência e imaginação, negando o valor da introspecção. Segundo
ele, somente o comportamento manifesto era possível de ser validado cientificamente. Os estudos
posteriores demonstraram que essa postura não era correta em alguns aspectos, mesmo assim os
estudos de Watson foram determinantes para a expansão da psicologia.
2ª. Força – Psicanálise – criada por Sigmund Freud- o estudo psicanalítico focaliza prioritariamente
a patologia e o extremo sofrimento diante da própria impotência e da limitação humana. O principal
discípulo de Freud foi Carl Gustav Jung que é considerado um dos precursores da Psicologia
Transpessoal.
3ª. Força – Psicologia Humanista – criada por Abraham Maslow – com reação explicita ao
behaviorismo e a analogia entre o Ser humano e a máquina e que colocava à margem do seu objeto
de estudo os fatores afetivos e emocionais. Os humanistas reagiram a essa opção metodológica
pela exclusão da emoção, que considerava inerente e fundamental no ser humano. A visão do ser
humano no humanismo é a de um ser criativo, com capacidades de auto-reflexão, decisões,
escolhas e valores.
“ Maslow afirmou que Freud se deteve na doença e na miséria humana e que era necessário
considerar os aspectos saudáveis, que dão sentido, riqueza e valor à vida”
As obras completas de Freud contêm mais de 400 referencias à neurose e nenhuma a saúde. Por
essas razões, alegava-se que o modelo comportamentalista e psicanalítico, embora tivessem dado
grandes contribuições, também produziram certas limitações para a psicologia e para os nossos
conceitos de natureza humana.
4ª Força – Psicologia Transpessoal – Maslow acreditava que vivenciar o aspecto transcendente era
importante e crucial em nossas vidas. Pensar de forma holística, transcendendo dualidades como
certo, errado, bem ou mal, passado, presente, futuro é fundamental. Quarta psicologia ainda “ mais
forte”, transpessoal, transumana, centrada no cosmos e não em necessidades e nos interesses
humanos, que vai além da condição humana, da identidade, da auto realização, etc. “ Algo maior do
que somos e que seja respeitado por nós, e ao qual nos entregamos num novo sentido não
materialista. Vitor Frakl, Stanislav Grof, Jame Fadimam e Antony Sutich uniram-se a Maslow e
oficializaram, em 1968 a Psicologia Transpessoal enfocando o estudo da consciência e o
reconhecimento dos significados das dimensões espirituais da psique.
A Psicologia Transpessoal busca sintetizar estas contribuições e cria uma metodologia própria
através de exercícios e práticas para a expansão da consciência, tendo como meta o
desenvolvimento integral do ser humano, nas suas quatro dimensões: física, emocional, mental e
espiritual.
Muitos psicólogos da época (Maslow, Stanislov Graf, entre outros), ofereceram a evidencia de que
os assim chamados “estados alterados” são não só naturais, como também são necessários para o
bem-estar e a saúde do individuo.
Jung reconhecia que o processo de maturação psíquica pode, em certos casos transcender e muito
os estreitos limites do ego e do inconsciente individual.
O que faz de Jung um gênio na psicologia moderna é sua ampla visão que vai além de sua época, e
o seu método científico.
Embora Freud se orgulhasse da psicanalise ser atrelada ao mecanicismo newtoniano e de que os
psicanalistas serem mecanicistas incorrigíveis, foi a psicologia esotérica de Jung a que tenha
exercido maior impacto entre os gênios da ciência moderna. Eisntein e Wolfgang Pauli foram
entusiastas e apoiadores de Jung.
Maslow acredita que a menos que tenhamos oportunidade de mudarmos nosso estado de
consciência, podem se desenvolver sintomas emocionais graves se impedirmos o afloramento dos
níveis transcendentes da personalidade.
CONCEITOS E FUNDAMENTOS
A psicologia transpessoal se baseia na metáfora do EU transcendente, sugerida nos misticismos de
Jung e pelas experiências que extrapolam o EU individual.
Podemos conceituar PSICOLOGIA TRANSPESSOAL como o estudo e aplicação dos diferentes
níveis da consciência em direção à unidade fundamental do ser. A visão de mundo, na transpessoal,
é a de um todo integrado em harmonia, onde tudo é energia, formando uma rede de inter-relações
de todos os sistemas existentes no universo.
Muitas vertentes da Psicologia moderna, e alguns de seus diversos autores, tem concebido o ser
humano dentro de um paradigma materialista, compreendendo a mente humana apenas no período
entre nascimento e morte do corpo biológico.
Posteriormente, diversos estudos apontaram para uma vida afetiva intra uterina, e mais
recentemente a Terapia de vidas passadas tem trazido evidencias a respeito da imortalidade da
alma e da existência da reencarnação.
Ignorar este fato pode significar perder de vista diversos fatores que podem ser causas de patologias
presentes atualmente no individuo.
A Psicologia Transpessoal participa da busca de novas respostas às necessidades contemporâneas.
Ela estuda os estados modificados da consciência como a meditação, a paranormalidade, as
experiências místicas, o coma, o estado de sono, os sonhos e a experiência de morte clínica. Esta
abordagem tem como fundamentação científica a física Moderna, a Psicologia de Jung e as
pesquisas de Stanislav Grof.
“No campo transpessoal experimentamos uma expansão ou extensão da consciência além dos
limites usuais do nosso corpo e do nosso ego, tanto quanto muito além dos limites da nossa vida
diária”- Stanislov Grof
Baseado na física quântica Pierre Weil elaborou uma síntese, onde afirma:
“Existem sistemas energéticos inacessíveis aos nossos cinco sentidos, mas registráveis por outros
sentidos”.
Tudo na natureza se transforma e a energia que a compõe é eterna.
A vida começa antes do nascimento e continua depois da morte física.
A vida mental e espiritual forma um sistema suscetível de se desligar do corpo físico.
A vida individual é inteiramente integrada e forma um todo com a vida cósmica.
A evolução obtida durante a existência individual continua depois da morte física.
A consciência é energia, que é vida, no sentido mais amplo: não apenas a vida biológica, física, mas
também a da natureza, do Espírito, a vida-energia, infinita na suas mais diferentes expressões.
O Ser Humano e a Psicologia Transpessoal
O estado natural da mente é a ORDEM, isto é, a harmonia consigo mesmo e com o meio ambiente,
quando essa harmonia existe, a mente funciona como uma totalidade, o que resulta no que se
chama de saúde mental.
Quando existem perturbações e desarmonia, a mente perde o seu estado de unidade e se torna
bloqueada, e apresenta aspectos traumáticos que podem resultar em vários distúrbios, tais como,
ansiedade, depressão, angústia, fobias, stress, insegurança, impulso suicida, autopunição, auto
piedade, complexos de inferioridade, insônia, ciúme exagerado, instabilidade afetiva, sentimentos de
rejeição, solidão, abandono, doenças psicossomáticas, a fuga pelas drogas e o alcoolismo, etc.
Pode-se apresentar dificuldades no relacionamento interpessoal.
O GRANDE DESAFIO PARA O HOMEM CONTEMPORANEO É O SEU AUTODESCOBRIMENTO.
A incapacidade de enfrentar o imponderável, mais tarde se apresenta camuflada em forma de
rebelião inconsciente contra a existência física, contra a vida em si mesma.
O homem conquista o exterior e perde-se no interior.
Maslow dizia: “Nós não adoecemos só por conflitos, nós adoecemos também por reprimir o amor,
reprimir a nossa manifestação, a nossa expressão saudável”.
O CAMINHO PARA A SAÚDE DAS EMOÇÕES
Este processo de auto-encontro vai lhe trazer um estado de saúde integral, saúde do corpo, da
mente, das emoções. Para a conquista deste estado é fundamental que uma atitude de mudança
seja implementada para que a pessoa possa transmutar os sentimentos egoícos evidentes ou
mascarados que são os obstáculos do auto-encontro, isto é do encontro consigo mesmo em
essência.
Para conseguir esse intento não basta querer desenvolver a saúde, ele necessita querer mudar os
fatores que impedem o fluir da plenitude, isso requer uma vontade ativa para vencer a inercia de
permanecer da forma como se está. O indivíduo precisa confiar na própria capacidade de mudar,
através de um esforço continuado, paciente e perseverante e sobretudo muita coragem para
conquistar o que deseja.
A partir desses fatores o individuo necessita de estabelecer os passos necessários para a mudança
dos sentimentos negativos, a transmutação das negatividades, se dá através dos passos simbólicos
a seguir:
Jung propunha que o paciente possui seu próprio “curador interno” e cabe ao analista estimula-lo a
este encontro. Chamou este processo de individuação, ou seja, a busca do “Eu interior” ou “Si
mesmo”, para isto, a coragem de confrontar-se consigo mesmo, más num processo de reconciliação
e não mais de luta interior, de uma auto-sabotagem.
Segundo Jung a doença se instala a partir de imagens distorcidas que o doente traz no seu
psiquismo, portanto para buscar sua cura, este doente terá que contrapor novas imagens,
lentamente, substituir as imagens distorcidas, contaminadas, sabotadoras, destrutivas, etc., por
novas, amigáveis, saudáveis, estimuladoras, etc. entendendo, que o curador é interno.
Um ser consciente deve, portanto, aceitar-se como é, e a partir daí aprimorar-se sem cessar. A
psicologia Transpessoal, neste sentido, possui uma abordagem ampla, pois quando o profissional
não encontra a causa do sofrimento na vida atual, passa a buscar as questões não só da vida intra
uterina como em possíveis vivencias anteriores a essa.
Ao alcançar a verdadeira natureza do seu espirito, o individuo encontra a paz profunda, e
consequentemente, a luz interior que traz uma cura para seu sofrimento. Na medicina oriental
chinesa já é sabido há mais de 4000 anos que a cura de um corpo doente se inicia quando há cura
do estado mental e emocional do sujeito.
Após a morte do “antigo” ego que sofre com seus traumas há o renascimento de um novo homem,
com a sabedoria de poder vivenciar a vida em equilíbrio, conectado com a unidade cósmica.
A morte dos condicionamentos do ego e renascimento deste traz a possibilidade de conhecer a si
mesmo, tal como ensinaram os antigos mestres com o famoso adágio “CONHECE-TE A TI MESMO”
O Autoconhecimento significa se libertar de todos os condicionamentos, vivendo de acordo com a
sua verdade interior, livre de todos os medos que aprisionam o EU em seu universo particular, livre
da dependência exclusiva de artifícios externos para se sentir feliz, livre para vivenciar o amor e a
beleza de estar consciente de quem verdadeiramente É.
A mente equilibrada comandará o corpo em harmonia e, nesse intercâmbio, surgirá a saúde ideal.
A MUDANÇA
AUTO CONHECIMENTO – Através do auto conhecimento deve-se identificar os sentimentos
egoístas geradores de crenças limitadoras e de emoções em desequilíbrio, que requerem um
esforço de transmutação.
ACEITAÇÃO – Aceitar que possui esses sentimentos egoístas sem mascaras, justificativas,
julgamento, condenação, ou repressão.
DESEJO – Vontade ativa de mudar para vencer a inércia.
O HOMEM INTEGRAL
O homem integral é o individuo essencialmente constituído e que desenvolveu ao máximo as três
faculdades irredutíveis entre si: a faculdade de pensar, a de sentir e a de querer. Que equivale dizer:
Razão, Sentimento e Vontade.
O pensar e o querer são faculdades ativas do homem integral, o sentir é passiva. Então podemos
dizer que o pensar e o querer partem do homem e o sentir acontece nele.
Através do pensar, o homem raciocina, argumenta, representa, imagina, idealiza, calcula, julga, etc.
A ciência, a matemática e a filosofia são seus frutos mais importantes.
Pelo querer, o homem age, decide, realiza, executa uma ação, etc, transformando o mundo e a
sociedade continuamente. Nesse reino da vontade o homem encontra o dever.
O dever é a obrigação moral do homem para consigo mesmo e para com seu semelhante. Com ele
nos deparamos nas mais diversas situações da vida, desde às mais íntimas, como nos atos mais
elevados. Estabelecer como o homem deve agir nas mais variadas situações da vida é um dos
atributos do querer. Como suas mais importantes realizações, temos a ética, a moral, o direito e a
política.
Com o sentir o homem percebe e recebe as impressões do mundo à sua volta e as do seu próprio
mundo interior. As sensações físicas ou psicológicas, as emoções ou sentimentos são algumas das
formas de ser desta faculdade notável. Delas nascem as artes e a estética, a música e a poesia.
Associados a essas três faculdades temos os mais importantes valores da cultura humana: a
verdade, a beleza e a bondade.
As ciências e a filosofia investigam a verdade. a estética e as artes cultuam a beleza. A ética e a
política visam o bem. a historia da nossa cultura reflete uma incansavel busca desses valores.
O homem integral é portanto um ideal a ser atingido. Um modelo a ser imitado.
EDUCAÇÃO TRANSPESSOAL
A educação é tarefa de todos, pais, professores, médicos, etc, enfim todos aqueles que
desempenham tarefas socialmente uteis podem ser considerados educadores.
Todos os educadores e principalmente as instituições de ensino seriamente comprometidas com a
educação devem não apenas formar profissionais com sólido conhecimento cientifico (inteligência
racional), mas desenvolver o amor ao conhecimento, o sentimento estético e artístico que vincula o
belo ao conhecimento (inteligência emocional) e, também, ensinar os valores éticos da ordem, do
respeito, da liberdade, da disciplina e da seriedade (inteligência volitiva ou da vontade), tão carentes
nos dias de hoje.
Reunidas num todo e elevadas ao mais alto grau de desenvolvimento essas três faculdades
caracterizam o HOMEM INTEGRAL.
CONCLUSÕES FINAIS
As realizações externas podem acalmar as ansiedades do coração, momentaneamente, não, porém,
erradicá-las, razão por que o triunfo externo não apazigua interiormente.
O homem pode e deve ser considerado como sendo sua própria mente.
Ignorar uma situação não significa eliminá-la ou superá-la. Tal postura permite que os seus fatores
constitutivos cresçam e se desenvolvam, até o momento em que se tornam insustentáveis,
chamando a atenção para enfrentá-los.
O autodescobrimento se torna uma necessidade prioritária na programática existencial da criatura.
Quem o posterga, não se realiza satisfatoriamente porque permanece perdido em um espaço
escuro, ignorado dentro de si mesmo.
Foi necessário que surgisse a Psicologia Transpessoal, cuja fundamental contribuição é portanto, o
reconhecimento da existência de diferentes “estados de consciência” e que todos eles são aspectos
distintos de uma subjacente” unidade fundamental do Ser”.
Reconhece também a natureza espiritual do ser humano e sua inserção numa dimensão cósmica
mais ampla.
A Psicologia é uma ciência bastante recente em termos histórico, ainda está à espera de uma
unificação, uma lei geral que coordene suas diversas visões, por vezes antagônicas.
Pode-se dizer que a Psicologia Transpessoal é a primeira tentativa de integrar as diferentes visões
de homem em uma visão mais ampla e abrangente, onde as divergências de opinião não sejam
mais vistas como antagonismos, mas como visões complementares e não-excludentes sobre o
mesmo objeto de estudo: O SER HUMANO.
A espiritualidade, ou a dimensão espiritual do homem identifica o Movimento Transpessoal como a
primeira corrente da Psicologia contemporânea que dedica atenção sistemática e privilegiada à
dimensão espiritual da experiência humana, até então ignorada, negada, negligenciada ou reduzida
a derivações secundárias de outras faixas inferiores do ser, como a sexualidade e a agressividade
sublimadas, por exemplo. Somente quando estudado na sua plenitude – Espirito, perispírito e
matéria – podem-se resolver todos os questionamentos e desafios que o compõem, alargando-lhes
as possibilidades de desenvolvimento do deus interno, facultando completude, realização
plenificadora, que lhe cumpre alcançar.
Essa gigantesca tarefa cabe à Psicologia Transpessoal ou Quarta força, que inicia um período de
real compreensão da criatura como ser indestrutível que é fadado à felicidade. –

BIBLIOGRAFIA

O SER CONSCIENTE – JOANNA DE ÂNGELIS
O HOMEM INTEGRAL – JOANNA DE ÂNGELIS
PLENITUDE – JOANNA DE ÂNGELIS
AUTODESCOBRIMENTO – JOANNA DE ÂNGELIS
AMOR IMBATÍVEL AMOR – JOANA DE ÂNGELIS
WWW.IJEP.COM.BR
O LIVRO DOS ESPÍRITOS – OBRAS BÁSICAS
WWW.AHISTORIADAPSICOLOGIA.COM.BR
PSICOLOGIA ANALITICA – CARL GUSTAV JUNG
WWW.PSICOLOGIATRANSPESSOAL.COM.BR

Telefones: (19) 2537-5929 / 2537-3696
  (19) 97101-5909
Rua Moraes Barros, 2038
Bairro Alto - Piracicaba, SP